Chehel Sotun, uma magnífica jóia da era Safávida

O  reflexo do  Chehel Sotoun  no espelho d’água cria a ilusão das 40 colunas
O pavilhão Chehel  Sotoun  é uma das numerosas maravilhas da era safávida, que reflete a riqueza da arte iraniana. Construído em 1647, em Isfahan, por Shah Abbas II dentro de um vasto parque real em torno de um edifício anterior erguido por Shah Abbas I, o palácio foi utilizado pelo rei e seus sucessores para receber dignitários e embaixadores no terraço ou em um dos salões imponentes de recepção.
O nome deste complexo arquitetônico em persa significa “Quarenta Colunas”,  inspirado pelas 20 finas colunas de madeira, que suportam o pavilhão de entrada mas que refletidas nas águas da fonte, parecem ser 40 colunas!
Cada coluna foi feita de uma árvore inteira revestida com uma fina camada de placas coloridas. A camada original era coberta com pedaços 
de vidro e espelho coloridos. Os pilares de madeira apoiam um elegante terraço com um teto de madeira clara de venezianas largas ornamentadas com arabescos. O terraço abre o pavilhão para os jardins e uma  grandiosa piscina.O teto ainda mantém as suas vigas, cobertura, venezianas de madeira pintada, e as detalhadas rosetas e sóis, estrelas, frutas e folhagens estilizadas.


Jardins e fonte do palácio
As fontes zoomórficas com cabeçade leão
As artísticas 20 colunas de madeira do pavilhão
A decoração do teto do pavilhão com mosaicos em arabescos
A piscina consiste de uma enorme bacia retangular medindo 110m de comprimento por 16m de largura, que é abastecida por duas fileiras de fontes de pedra em forma de leão.
 Chehel Sotoun  é um dos dezesseis palácios Safávidas de Isfahan  dos quais quatro não existem mais. A parte superior das paredes internas é decorada com seis pinturas murais, que representam a vida na corte  Safávida  e suas façanhas militares. A área abaixo desses afrescos é coberta com pinturas menores, muito semelhantes a miniaturas persas.
As pinturas retratam as festas realizadas pelo xá Abbas II,  a recepção de Mohammad Vali Khan, rei do Turquestão, a guerra entre Shah Ismail I, as forças otomanas em Chaldoran  e a festa de recepção em honra de Homayoun, o rei da Índia.As  pinturas mais recentes retratam a vitória de Nader Shah contra o exército indiano em Karnal, em 1747. Há também miniaturas tradicionais que celebram a alegria da vida e do amor. O quarto conjunto é coberto por uma série de objetos Safávidas que incluem tapetes, armaduras, porcelanas e moedas.


A magnífica decoração interior e  paredes cobertas com mosaicos de espelhos
Shah Abbas I recebendo Mohammad Vali Khan
Recepção em honra de Homayoun, o rei da Índia
Representação da vitória de Nader Shah na batalha de Karnal 
Afresco representado a batalha de Chaldoran




Durante diferentes épocas, o Chehel Sotoun  foi seriamente danificado, especialmente durante a invasão dos afegãos, quando as pinturas foram cobertas com uma grossa camada de cal. Todas as paredes eram decoradas com grandes espelhos, pedaços coloridos de vidro e belas pinturas e todas as portas e janelas exibiam  maravilhoso acabamento incrustrado.
Muitas partes do edifício, incluindo o teto abobadado e a sala do trono foram amplamente restaurados recuperando seu design original.O palácio é agora um museu de pintura e cerâmica Safavida,  que atrai milhões de visitantes nacionais e estrangeiros.

Vale a pena ver esse belíssimo vídeo, um ótimo tour virtual pelo Chehel Sotun!




Baseado em Iranreview.org

Este post tem 0 comentários

  1. Conexão Oriente

    Nossa que lindo ! Parece a versão persa do Taj Mahal.
    Gosto dos mosáicos persar são belissimos e a arquitetura lembra um pouco o Azem Palace em Damasco. Mas claro que o persa é o primo rico do Azem Palace.

    O último comentario la sumiu !

    Bauce

  2. Janaina Elias

    Realmente, pelo que vi através das fotos lembra bem o Azem Palace no estilo das cores e da decoração interior. Se bem que esse é apenas um dos tantos palácios da era Safávida lindos de doer, aos poucos vou falando de cada um… e a maioria deles se localiza em Isfahan (o lugar dos meus sonhos!)

    Que comentário que sumiu? Não cheguei a ver…
    Bauce

  3. Conexão Oriente

    O seu comentario sobre as futuras fãs do Tarkan e as confusões que o povo vai fazer sobre a Turquia por causa da próxima novela. simplismente sumiu o seu comentario

  4. Anônimo

    Salam, Jana Jan!

    Insh´Allah um dia passearemos por esses jardins…e a pintura iluminará nossos olhos por um longo tempo até que nosso olhar se mescle ao perfume das rosas…

    naquele jardim…

    em Isfahan.

  5. Janaina Elias

    Salam Denise jan!

    Mashallah! Este lugar é uma experiência estética completa para todos os sentidos, só ficou faltando o paladar que vamos completar tomando um sorvete de água de rosas na praça de Isfahan!!!

Deixe um comentário