6 Técnicas de artesanato tradicionais do Irã

Salam amigos! Embora pouco conhecido no Brasil, o artesanato iraniano possui uma grande variedade de técnicas tradicionais, que existem há séculos ou até milênios. Ao visitar os bazares iranianos é impossível não se encantar com esses objetos luxuosos. E apesar de alguns desses itens serem bem caros, eles também estão presentes na maioria das casas iranianas.
No post de hoje, conheça 6 técnicas tradicionais do artesanato do Irã: 

1- Minâkâri

Objetos em metal esmaltado

Objetos  esmaltados com a técnica minakari |  Foto de Fabrizio Frigeni na Unsplash


Minâkâri é a tradicional arte de esmaltagem de superfícies de metais e ladrilhos cerâmicos. Originária do Irã, essa técnica surgiu no período Safávida e é praticada também no Afeganistão, Paquistão e Índia. 
O nome desta técnica é derivado da palavra persa minâ que significa “azul do céu”.

2- Khâtamkâri

Marchetaria persa 

Caixas decoradas com a técnica khatamkari | Crédito: Digikala


Khātamkâri é uma antiga técnica de marchetaria persa cuja composição é formada por delicadas peças de diferentes tipos de madeira colorida, osso, marfim e metal cortados em padrões geométricos para revestir superfícies de  madeira.
A palavra khâtam em persa significa “anel”, que alude a forma da estrela de 6 pontas do “anel de Salomão”.

3- Ghalamkâri

Estampagem com blocos de madeira 

Tecidos estampados com a técnica Ghalamkâri | Crédito: Termeh Travel


Ghalamkâri é uma técnica tradicional de estampagem de tecidos de algodão utilizando blocos de madeira entalhada. Para cada desenho e cada cor são utilizados blocos diferentes e a estampagem é dividida em etapas. O centro da produção desse tipo de estampa no Irã é a cidade de Isfahan.
O nome da técnica deriva das palavras persas ghalam (caneta) e kâri (trabalho).

4- Ghalamzani

Desenhos gravados em metal 

Objetos em metal decorados com a técnica ghalamzani | Crédito: Itto


Ghalamzani é a sofisticada arte persa de gravar desenhos  em metais como cobre, prata, ouro e latão. É amplamente utilizado em objetos decorativos como bandejas, pratos, vasos, jarras, etc. 
A origem desta técnica remonta a milênios na história do Irã. Os principais centros da produção de Ghalamzani estão atualmente nas cidades de Isfahan, Shiraz, Teerã, Tabas e Kermanshah.

5- Termeh 

Tecido bordado tradicional 

Tecido bordado com a técnica do termeh | Crédito: Termeh Travel
O Termeh é um tipo de tecido bordado artesanal, produzido especialmente nas províncias de Yazd e Kerman.  Geralmente as peças são produzidas com fibras de lã e seda natural  e alguns artigos mais finos também  contém fios de ouro e de prata. A técnica é empregada especialmente toalhas de mesa, roupas de cama e vestimentas. Um dos padrões mais conhecidos do termeh é o boteh, conhecido no Ocidente como “caxemira”.
Leia também: O que é Termeh?

6- Firuzeh Kubi

Peças encrustadas com turquesa 

Objetos em cobre decorados com a técnica Firuzeh kubi | Crédito: MRG90, CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons

Firuzeh Kubi é  é a arte tradicional de encrustar pequenos pedaços de turquesa em objetos de cobre, especialmente vasos e vasilhas. Na cultura persa, diz-se que a turquesa tem propriedades curativas e protege contra o mau-olhado. O centro de produção desta forma de artesanato está na cidade de Nishapur, no Irã. O nome desta técnica vem da palavra presa firuzeh (turquesa) e kub (martelada).
💞 Este é um artigo inédito em língua portuguesa que você só encontra aqui no blog Chá-de-Lima da Pérsia. 
Se você gosta do nosso trabalho e também acredita na importância de divulgar a cultura do Irã no Brasil, saiba aqui como você pode apoiar o blog. 

Deixe um comentário